fbpx

Verdade da onde mesmo?

Quando eu ouvi falar de crenças limitantes há alguns anos atrás, eu fiquei chocada, mas hoje depois de tanto tempo estudando sobre elas, e me estudando para achar essas malditas dentro de mim, confesso que estou ainda mais chocada que naquele primeiro contato com as ditas cujas!

Porque é tão difícil pra nós identificar essas tais crenças internas que nos sabotam?

Bem deixa eu dividir com vocês algumas coisas que aprendi ao longo desses anos!

Esse é um processo difícil, pois as crenças são verdades internas pra nós e são individuais! E sendo uma verdade do nosso sistema elas estão no piloto automático, nos guiando livremente, pois não as questionamos, uma vez que nosso sistema encara aquilo como absoluto, pra ele está tudo certo!

Só que não é bem assim!

Nossas crenças nascem principalmente de nossas percepções sobre fatos que nos ocorreram no passado, veja bem, percepções e não o fato de fato!

Um exemplo muito comum, uma criança que o pai ou a mãe, tem que viajar a trabalho frequentemente pode perceber a ausência deste pai ou desta mãe como abandono, e desenvolver uma crença de que não é suficientemente amada! Isso se dá pela percepção da criança e não realmente pelos fatos em si, pois o fato pode ser que esse pai ou essa mãe ame-o tanto a tal ponto que se dedica ao trabalho, abre mão de um convívio próximo, para que o filho cresça em melhores condições! Isso é um exemplo! Esse mesmo exemplo pode trazer crenças diferentes, dependendo da criança e das condições que a cerca!

O que quero dizer é que aquilo que virou uma verdade pra nós, se originou numa interpretação, que na maioria das vezes não reflete a realidade, mas que teve uma carga emocional importante, que registrou isso no inconsciente individual e passou a conduzir ações e comportamentos nem sempre construtivos.

Voltemos ao exemplo, essa mesma criança pode ter comportamentos que o leve a evitar relacionamentos afetivos, a sabotar seu relacionamentos, pois ele tem registrado no seu sistema a dor do abandono! (Gente, sendo muito simplista, mas para que compreendam a proporção do negócio!)

Seguindo estudando essas danadas, descobri que existem diversos níveis de crenças!

Esse exemplo que dei trata-se de uma crença primária, gerada nessa vida mesmo, de nossas próprias percepções!

Nosso querido Jung, trouxe o conceito de inconsciente coletivo, e sim a gente herda crenças da coletividade, crenças histórica, exemplo a tal briga machismo e feminismo (não vou me aprofundar nisso, senão vira livro esse texto)!

Bert Hellinger, o pai das Constelações familiares, traz muito forte a influência da nossa família! Sim, também herdamos além da genética, vários enroscos do nosso sistema familiar, que viram crenças em nosso sistema sim!

E Vianna Stibal, a canalizadora da técnica Thetahealing, traz ainda pra nós o conceito das crenças vindas de nossa alma, sendo estas muito profundas!

Ou seja, meus amados, a confusão é grande!

Nosso maior desafio para começar a nos livrar disso, acredito seja nos permitir ver nossas crenças, sair do piloto automático e fazer uma profunda análise de nós mesmos!

Como diria Tony Robbins comece a duvidar, coloque em dúvida suas verdades, se pergunte de onde elas surgiram, o que elas contribuem pra você, no que elas limitam você? Se questione absurdamente!

Eu venho fazendo bastante esse exercício e já identifiquei cada coisa em mim! Aff! Só o Universo pra dar conta! (risos)

Isso tudo me levou a uma verdade: pra mim, hoje, toda ajuda é bem-vinda para nos auxiliar a trocar crenças limitantes por crenças fortalecedoras! Te convido inclusive a se permitir ir além da psicologia, do coaching e se abrir para novas e poderosas ferramentas e técnicas energéticas, terapêuticas, que podem ajudar imensamente nesse processo!

Se abra para o novo, se olhe de novo e de novo, e de uma nova forma!

Se permita evoluir de fato! Não temos que ser imutáveis, não temos que ser nada do que o outro nos diz pra ser! Tenha apenas o compromisso de ser melhor para si próprio e ser feliz, com respeito ao próximo!

Sim sou dessas que acredita em uma nova era, que já vive essa nova era! E que ainda tem um monte de crenças pra trocar!

Beijos fortalecedores!

Ane Goulart

PS.: Algum Thetahealer querendo trocar sessão de Digging? ((risos) Se você não sabe o que é, dá um google aí, pode te ajudar!)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *