fbpx

Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão…

Um dia me dei conta de que havia algo errado em meu coração, que o mapa apontava o norte errado, que percorria um caminho que não era meu!

Que até então eu era apenas quem eu podia ser, que sonhava apenas os sonhos que podia ter naquele olhar limitado do momento!

Mas eu acordei, e vi que tudo, nada mais era que parte de uma programação pré-definida, parte dessa matrix cheia de mistérios, os quais minha mente ainda não conseguiu processar plenamente!

Porém eu despertei e vi que as nuvens podiam ser feitas de algodão, que eu podia sonhar muito além dessa barreiras impostas por esse mundo! Que viver, na verdade, pode ser simples e leve!

Pude perceber que esse planeta é configurado para colocar medo de sermos quem somos! Para aprisionar minha alma, sua alma, nessa vida tolhida que a grande massa vive!

E todo esse sistema é muito forte e engenhoso, ele nos adormece, nos amortece, nos deixa em amnésia plena, total!

Você pode ler estas linhas e me dizer: ‘Você está louca’!

E tudo bem pensar assim, acho interessante esse ponto de vista, todavia, hoje eu penso que estive louca, louca e hipnotizada por muitos anos de minha vida!

Sou então, muito grata por ter despertado, e poder viver em uma outra dimensão mesmo ainda estando aqui nesse mundo!

Compreendi que não há um lugar para ir, existe na verdade um lugar pra retomar, o interno! Seu interior! O mapa correto te leva pra dentro, o seu norte é seu centro!

Antes me falavam de autoconhecimento, eu replicava: “bullshit”!

Ainda bem que a gente evolui! Que vai aprendendo a destruir a programação de medo que nos impregna desde a mais tenra idade neste planeta, vai aprendendo a se libertar daquele medo bobo e gigante de manifestarmos nossa essência!

Pra te ajudar nesse processo, que eu já passei, aliás estou passando, te deixo algumas questões, caso queira enlouquecer de forma benéfica também:

O que você ganha tentando se ajustar a modos de viver de outras pessoas, que mal sabem que você existe, que nem estão de fato preocupadas com você, além de muita tristeza e insatisfação?

Porque você continua acordando todos os dias e fazendo as mesmas coisas que te entediam?

Porque vai todos os dias para o trabalho que odeia e não faz nada para mudar isso?

Porque esse pacto com a dor e o sofrimento? Que prazer é esse em estar sempre infeliz, estressado, cansado, irado?

Que pavor é esse de mudanças?

Se puder te dar um conselho, te diria: chuta o balde, o pau da barraca, dá as costas pro mundo, descobre o que te dá tesão nessa vida, e trata de fazer disso uma forma de viver, use sua criatividade!

A vida é tão curta e pode ser tão bela, claro, se você deixar mão da opinião alheia e olhar pra dentro.

Beijos introspectivos pra vocês…

Ane Goulart!

PS.: Inspirada na música Somos Quem Podemos Ser do Engenheiros do Hawaii

One thought on “Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão…

  1. “Voar voar
    Subir subir
    Ir por onde for
    Descer até o céu cair
    Ou mudar de cor
    Anjos de gás
    Asas de ilusão
    E um sonho audaz feito um balão” . Sim…. voar, voar…. sentir a plenitude da liberdade de ser quem somos, sem pesar nem constrangimentos. Sermos éticos o bastante para reconhecer que somos seres em construção, ou seres de estações e fases. As vezes cinzentos, frios e tristes como um inverno rigoroso e cheio de neve, mas que acredita que no decorrer da vida, de repente, o inverno passa, e o brilho do sol traz coloridas e belas flores que desabrocham, perfumam e encantam a vida. Assim, também nosso ser, vive e revive estações, sonhos, renascimentos, encontros, reencontros conosco, e com tudo que nos cerca. Lembrando ainda, que no outono da vida as folhas caem, para dar lugar a novos e vigorosos brotos, iluminados pelos raios brilhantes de um sol que desponta a cada novo amanhecer no horizonte aquecendo nosso ser com o brilho e o desejo de viver todas as estações deste estonteante e fantástico presente chamado VIDA. DESPERTAR para encontrar-se, conhecer-se, é indispensável para que possamos sentir a emoção de saborear cada minuto do nosso existir. Reconstrua-se, viva e deixe viver. Conhece-te a ti mesmo e devolva à vida o mais belo sorriso que brilha em tua alma.
    beijos cheios do desejo de auto conhecer-se a cada momento.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *